13 de jun de 2017

ame mais, julgue menos

A gente cresce, fica mais velho e espera que as pessoas amadurecam, mas infelizmente não é sempre que isso acontece.

O famoso bullying, praticado nas escolas, é praticado até mesmo quando crescemos. Quantas pessoas, já bem mais velhas, não adoram ofender as características de outras pessoas? "Fulano é gordo!", "Fulano é pobre", "Fulano mora em tal lugar".


As pessoas se apequenam para cuidar da vida dos outros, elas deixam de viver as próprias vidas. Gente, depois de virar adulta eu mal consigo cuidar da minha vida, imagina arrumar tempo pra cuidar da vida dos outros?

Tem gente que não liga de magoar o outro, fica te comparando a outras pessoas. A gente não sabe o que acontece com o outro, pelo que ele passa, então por que ficar julgando? Porque usar seus próprios padrões para apequenar aquilo que o outro é?

Não molde as pessoas, deixe as pessoas serem livres para ser quem são e ser felizes assim. Vai cuidar da própria vida, tirar um tempo pra só, ir fazer um brigadeiro... só não fica cuidando/julgando a vida dos outros.

E como diria a música da Marcela tais: "ame mais, julgue menos".

1 de jun de 2017

A melhor resposta é o silêncio

Tem coisas que a gente tem vontade de dizer para as pessoas, mas às vezes o silêncio é a melhor resposta.
Não é ignorar, não é sofrer calada, mas existem brigas que simplesmente não valem a pena comprar.
Não se arrependa e nem peça perdão por ser quem você é. As pessoas nunca estarão satisfeitas e sempre darão pitaco: "você tá muito gorda", "você tá muito magra", "você é muito quieto", "você fala demais". Elas sempre vão questionar suas escolhas, sempre vão criticar suas decisões.
Não tô falando pra você cagar pro mundo, mas a perceber quem realmente torce por você e quem só quer criticar. Essas pessoas só nos fazem mal.
Aprendi a teoria dos Pinguins de Madagascar: sorria e acene. Quando alguém vem falar algo? Eu sorrio, aceno e sigo a vida.
Mais uma vez repito: não tô falando para ignorar todos a sua volta, mas saiba filtrar críticas construtivas de pessoas que realmente se importam com você. É fácil identificar alguém que você nunca vai conseguir agradar: ela não da pitaco só na sua vida, da na vida de todos. E se a pessoa fala de outras pessoas pra você? Pode ter certeza que fala de você para outras pessoas também.

 De o silêncio como resposta para as pessoas que te criticam sem ter um fundamento para isso e viva de uma forma mais leve, mais simples, mais a sua cara. Porque às vezes, o silêncio é a melhor resposta.

27 de jan de 2016

O importante é ser feliz

Há um tempo uma amiga minha estava conhecendo um cara (que por acaso também é meu amigo) e eu perguntei a ela como ela estava, e ela me respondeu: “eu to feliz!”. Essa foi a melhor resposta que eu já recebi de alguém. Não foi uma resposta pronta, foi uma resposta sincera e verdadeira, e foi essa resposta que me fez ver que no fim de tudo o importante mesmo é você ser feliz!
Não adianta estar em um emprego que pague super bem, se ao chegar em casa você não esta feliz com o que faz. Não adianta estar em relacionamento de fachada, quando todos ao seu redor falam que vocês formam um casal maravilhoso se a pessoa com quem você esta não te faz feliz.
Eu sou totalmente a favor de consertar as coisas ao invés de simplesmente jogar fora, e isso com certeza serve para os relacionamento também. Mas ao mesmo tempo eu sei que algumas coisas, depois que quebram, nunca mais voltam a ser as mesmas de antes, e isso com certeza serve para os relacionamentos também.
Se você já tentou de tudo para salvar aquele relacionamento morno em que você esta, às vezes desistir é o melhor. Desistir pode ser  o que vai te fazer feliz. Mas se você vê, que ainda existe sim uma chance de vocês dois se fazerem felizes, invista, tente algo novo, corra atrás daquilo que te faz feliz.
Se você perdeu totalmente o tesão pelo seu trabalho e sonha com algo que realmente vá te fazer feliz, vai por mim, nunca é tarde para ir atrás disso. Trabalhar com aquilo que a gente gosta é um milhão de vezes mais recompensador do que se contentar em simplesmente ganhar bem. Dinheiro não é nada, se ao deitar a cabeça no travesseiro você não sentir que fez a sua parte fazendo aquilo que ama.

É obvio que ser feliz o tempo todo é utopia, mas só de sentir paz no coração de saber que esta fazendo a sua parte não tem preço! Ao buscar a sua felicidade várias coisas tentarão de atrapalhar, várias pessoas deixarão de te apoiar e muita coisa pode dar errado no caminho também. Mas eu prefiro a dor de ter tentado e ter dado errado do que de nunca saber o que aconteceria por não ter tido coragem de tentar.

19 de jan de 2016

RESENHA – Roleta Russa – Jason Matthews



SINOPSE: Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de forma abrupta. Logo em seguida, mais um golpe: a morte inesperada do pai, seu melhor amigo.

Desnorteada, Dominika cede à pressão do tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, o SVR, e entra para a organização. Pouco tempo depois, é mandada à Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para fins de espionagem.

Em seus primeiros meses como pardal, ela recebe uma importante missão: conquistar o americano Nathaniel Nash, um jovem agente da CIA, responsável por um dos mais influentes informantes russos que a agência já teve. O objetivo é fazê-lo revelar a identidade do traidor, que pertence ao alto escalão do SVR.

Logo Dominika e Nate entram num duelo de inteligência e táticas operacionais, apimentado pela atração irresistível que sentem um pelo outro.

Dominika Egorova é uma jovem excepcional e linda. Ela consegue ler emoções e sentimentos das pessoas em formas de cores e foi assim que virou uma bailarina prodígio: ela não seguia só o ritmo, ela seguia as cores que as músicas tinham. Até que um dia ela viu seu maior sonho, entrar para o Bolshoi, desmoronar após ser vítima de uma sabotagem e no mesmo dia recebe a notícia de que seu pai faleceu.
Sem ter em quem confiar e nem saber qual rumo tomar, Dominika é abordada pelo tio, Vanya Egorova, vice-presidente do serviço secreto da Russia, o SVR, e acaba cedendo. Ao entrar para o SVR, ela é enviada para a Escola de Pardais, um local que ensina homens e mulheres a usarem a sedução para espionarem.
Depois de passar por tudo isso ela recebe a missão de seduzir o jovem agente da CIA Nathaniel Nash com o intuito de descobrir quem é o espião que a CIA tem dentro do alto escalão do SVR. A atração entre os dois é mais forte do que tudo e eles se vêem no meio de um jogo de sedução e espionagem, onde um dos dois acaba cedendo e virando um agente duplo.
O que mais me chamou a atenção nesse livro foi o fato do autor ser um ex agente da CIA, então estamos falando de alguém que tem muito conhecimento de causa. Ele transmite isso super bem para o leitor, que não se torna nenhum especialista em espionagem internacional, mas consegue entender muito bem tudo que se passa no livro e a importância de cada ato.
Ao fim de cada capítulo o autor colocou uma receita que apareceu no decorrer do capitulo, o que me deixou com vontade de comer tudo aquilo lá ahahah.
Apesar de muitas palavras em russo é super fácil entender o livro, pois logo após a palavra vem a tradução dela, o que facilita bastante.
Com uma narrativa que alterna entre os pontos de vista do Nate e da Dominika o livro conseguiu me prender bastante, mesmo o final tendo ficado meio em aberto. Eu acredito que tenha sido intenção do autor que nós mesmos concluíssemos qual seria o rumo depois daquele desfecho, ou talvez ele esteja preparando uma continuação ai para nós :D

Independente da intenção do autor, esse com certeza é um livro que eu recomendo. Acho que a forma que o autor construiu a história ficou super bacana, focando muito mais no trabalho dos personagens principais do que no romance propriamente dito.

11 de nov de 2015

Quando o medo te impede de seguir em frente

Eu sou uma pessoa que sempre quis entender o medo que as pessoas têm de se entregarem, de tentar algo novo, de ir atrás daquilo que quer e/ou sonha, mas então eu percebi que eu não entendo porque também tenho esse medo.
Eu tenho um medo sinistro de me entregar e quebrar a cara de novo, eu tenho medo daquilo que não conheço e tenho medo de que alguém passe a me conhecer tão bem que saiba até das coisas das quais eu não me orgulho.
Eu tenho medo de nunca ser feliz ao mesmo tempo que tenho medo de ser feliz e não merecer isso. Eu tenho medo de nunca encontrar o amor, mas ao mesmo tempo tenho medo de encontrar e isso mudar drasticamente a minha vida.
A gente sempre critica quem permanece em um relacionamento por acomodação, mas e aqueles que permanecem solteiros pelo mesmo motivo? O medo de sair da zona de conforto e ter que compartilhar com outro alguém os seus desejos, os seus sonhos, sua cama, sua vida?
Porque querendo ou não para quem esta solteiro há muito tempo já esta acostumado com essa vida. Não ter que avisar ninguém quando for sair com as amigas, poder ir ao cinema sozinho sem ter alguém questinando o por quê de não querer a outra companhia, poder ter aquele momento onde é extremamente necessário ficar sozinha sem ter alguém se perguntando o que fez de errado.
É fácil ser solteiro, é fácil guardar seus medos e seus sonhos só para você, é fácil poder ir para onde quiser, quando quiser e com quiser. E eu estou dizendo isso como alguém que esta solteira a tanto tempo que nem sabe mais como é andar de mãos dadas com alguém na rua.
Difícil é você amar tanto alguém ao ponto de colocar a felicidade do outro antes da sua, porque você sabe que se a outra pessoa estiver feliz, você também esta. Difícil é você sair da sua zona de conforto onde você pode passar o fds inteiro de pijama assistindo série e trocar por almoço de família na casa da vó do seu namorado.
É muito fácil a gente falar de quem esta preso a um relacionamento por acomodação, difícil é nós, solteiros, enxergamos que muitas vezes continuamos solteiros pelo mesmo motivo. Medo!
Eu sempre fui uma pessoa que acredita que nós não devemos deixar nossos medos nos impedirem de fazer alguma coisa. As vezes tem alguém ali do nosso lado, só esperando uma oportunidade e nós, por medo, não nos permitimos viver aquilo.
O medo é algo que nos paralisa e nos impede de seguirmos em frente e é triste ver que tantas e tantas vezes nós deixamos que ele tenha sobre nós um efeito maior do que ele realmente deveria ter.

15 de out de 2015

É muito fácil dizer que ama, difícil mesmo é amar!

Tem gente se preocupando tanto em mostrar pro mundo que esta amando que acaba esquecendo de mostrar para a pessoa mais importante: a pessoa amada.
É muito fácil postar foto fofa no instagram, uma música romântica no facebook, uma frase de amor no twitter, um coração no whatsapp, difícil mesmo é mostrar com atitudes, todos os dias, o quanto você ama a pessoa.
É difícil agüentar ela na TPM, com o cabelo bagunçado, sem vontade de sair de casa por causa da cólica.
É difícil agüentar ele no dia que acorda de mau humor, no dia que o time perde ou quando teve um dia difícil no trabalho.
É muito fácil dizer que esta ali para tudo, difícil mesmo é realmente estar quando a pessoa precisa, nem que seja às 3h da madrugada de quarta para quinta.
É muito fácil dizer que as coisas vão melhorar, difícil mesmo é continuar com a pessoa mesmo que nada melhore.
É muito fácil dizer que confia, difícil mesmo é jogar o ciúme pra lá.
É muito fácil fazer grandes declarações de amor, difícil mesmo é mostrar nos pequenos gestos que amor mesmo não se mede pelas declarações, mas pelos detalhes.
É muito fácil dizer que faz tudo pela pessoa, difícil mesmo é abrir de alguma coisa pelo outro.
É muito fácil soltar um “eu te amo” sem pensar no real significado dessas palavras.
Amar é cuidar, é estar junto, é proteger, é suportar, é ceder, é compartilhar, é dividir, é somar e jamais subtrair.
Amar é muito mais mostrar do que falar. Amar é muito mais fazer do que dizer. Amar é mais profundo do que qualquer outra palavra possa descrever.

É muito fácil dizer que ama, difícil mesmo é amar!

3 de out de 2015

Não me importo se o mundo não me notar



Eu andei pensando e existem pessoas que anseiam pelo sucesso, que querem ser conhecidas e admiradas por todos, que querem ser importantes ´para o mundo.
E também percebi que cada vez mais isso é o que eu menos quero. Eu não quero ser importante para o mundo, eu quero ser importante para uma única pessoa. Quero que alguém olhe para mim e enxergue muito além do que os outros vêem, alguém que não olhe para o meu passado, mas para o futuro que podemos construir juntos, alguém que enxergue a pessoa que existe por trás de todas as idiotices, que não são poucas, que eu faço.
Eu não quero que todas as pessoas me admirem, eu só quero um olhar de admiração de alguém que goste realmente de mim e que esteja disposto a enfrentar seja lá o que vier pela frente.
Mas eu não quero apenas ser tudo isso para alguém, eu quero que alguém seja isso para mim também. Eu quero alguém que eu admire tanto, que aquela pessoa passe a ser o mundo para mim, seja a minha escolha.
Eu acho lindo quando vejo um casal que se escolheu, se ama, se admira e se respeita. E do fundo do coração? É isso que eu quero. Quero juntar a minha loucura com a loucura de alguém, quero juntar meus sonhos com o de alguém, para juntos construirmos os nossos sonhos.
Não me importo se o mundo não me notar, contando que aquela única pessoa me note, tudo ficará bem.